quinta-feira, 5 de outubro de 2006

Predicados

Quantas vezes já olhámos para um qualquer quadro e pensámos: aquilo também eu consigo fazer! Mas não fizemos, é essa a diferença entre quem pintou o quadro e os outros milhares de pessoas que também o poderiam ter feito.
A multiplicidade de talentos e dons, distribuidos de forma aleatória por toda a gente e que são à primeira vista imensos, não passam afinal da ponta do iceberg de todos os dons nunca revelados, numa muito mais ampla faixa da humanidade.
Estes talentos ou predicados escondidos, mesmo não sendo de menor grau qualitativo relativamente aos talentos de artistas consagrados, carecem no entanto de condimentos associados que destaquem o seu crescimento e o seu paladar e falo aqui da perseverança, do acreditar, o empenho profundo, da disciplina do querer, da vontade inabalável nas convicções, enfim, do verdadeiro trabalho, porque é na verdade durante o trabalho que as ideias ganham corpo e se desenvolvem para níveis não antes imaginados, aquando germinavam apenas no pensamento.
Não existe um quadro genial na cabeça de um artista, desenvolve-se durante o trabalho na tela, é precisamente aí que tudo se desenrola, Camões não escreveu os Lusíadas em pensamento, foi simplesmente escrevendo,a genialidade esteve lá, mas no durante.
A preguiça, é talvez o maior inimigo daqueles que cheios de predicados e dons não aprenderam a cozinhar as iguarias que têm na despensa da sua própria alma, será que não vale a pena tentar?
Acredito que as ideias inéditas, que todos os dias se dissipam na mente dos homens e mulheres deste mundo e que não chegam a ganhar corpo, por carecerem da tal iniciativa que faria desequilibrar a balança de forma positiva, dariam para educar artística e moralmente uma outra civilização.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial